E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Cuidado com os erros que podem matar o lucro da sua empresa
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Sugestão de artigo: Varejo l Gestão l Empresas l Negócios

CUIDADO COM OS CINCO ERROS NA GESTÃO DE PERDAS QUE PODEM “MATAR” O LUCRO DA EMPRESA

Anderson Ozawa*

Em qualquer segmento do varejo, seja ele do tamanho que for, tem as perdas como um grande vilão. Elas representam, em média, algo em torno de 2% sobre o faturamento líquido, mas esse índice pode variar de acordo com o setor. O varejo tradicional supermercadista tem perdas de 2,37%, e as áreas de moda e farma registram, respectivamente, 1,18% e 1,13%, como aponta a Associação Brasileira de Prevenção de Perdas (Abrappe). Em uma operação de milhões, esses números podem chegar a bilhões de reais.

Para combater as perdas, já se sabe que implantar um bom plano de prevenção de perdas é fundamental. Mas isso vai muito além do simples querer, é preciso ter vontade (a começar pela própria diretoria) para começá-lo. Os resultados, certamente, virão.

Para começar, elenco cinco erros que a maioria das empresas comete e que diminuem a margem de lucro dos negócios.

1 - Não conhecer o negócio
Parece óbvio, mas, não é. Diariamente, muitos empresários, executivos, empreendedores e gestores tentam fazer gestão da prevenção de perdas em seus negócios sem conhecer como tudo funciona. É preciso conhecer os detalhes de cada operação, mas, para começar, qual é a proposta de valor que a sua empresa entrega para os clientes. A partir desse ponto, ter uma visão da cadeia de processos de valor que leva a isso.

Uma forma de conhecer o negócio é ter um mapa de processos macro e a descrição de como cada um destes processos contribui para a entrega da proposta de valor da empresa. Conhecendo os processos macro, é possível propor soluções que melhorem a margem, porque fica claro onde estão os pontos críticos de riscos de perdas.

A margem de lucro é uma consequência de uma proposta de valor entregue com excelência e eficiência.

2 - Não medir suas perdas
Um jargão do mundo corporativo é que não gerencia aquilo que não se mede. É importantíssimo a medição das perdas corporativas, sejam de estoque, financeiras, comerciais, legais ou quaisquer um dos oito tipos de perdas que afetam uma empresa.

É inadmissível gerenciar perdas com base em achismos. Quanto melhor o processo de medição delas, quanto melhor a qualidade e maior a acuracidade, mais assertivos serão os planos de ação para gerenciar o negócio. Quando falamos de perdas de estoque é importante destacar que o foco deve ser identificar ao máximo as perdas:

- Quanto maior a participação percentual das perdas identificadas, melhor será o plano de ação para redução das perdas de estoque, porque a(s) causa(s)-raiz(es) fica(m) mais evidente(s).

- Quanto maior a participação percentual das perdas desconhecidas, menos assertivo será o plano de ação para redução das perdas de estoque, porque fica mais difícil identificar a(s) causa(s)-raiz(es).

Uma medição profissional e eficiente das perdas corporativas orienta a empresa a uma gestão de ações que melhorem a margem de lucro dos negócios.

3 - Apontar os erros sem indicar soluções
Faz parte do processo de melhoria contínua, identificar inconformidades, mas, sobretudo, propor a reflexão e a análise dos pontos identificados. Para isso, é possível utilizar ferramentas conhecidas como Diagrama de Ishikawa, PDCA, 5W2H, Matriz SWOT e claro, o Pentágono de Perdas.

Apontar o erro por apontar, para indicar o culpado, focar na pessoa, é errado. O correto é focar no processo, e seguir está ordem dos passos para melhoria contínua: Identificação, Padronização, Medição, Análise,
Inovação, Engajamento e Feedback.

E assim, a redução e manutenção das perdas corporativas em níveis que melhorem a margem de lucro da empresa se torna possível e profissional.

4 - Comprar soluções mágicas
Não existem soluções mágicas! Existem metodologias que levam a um plano estratégico que possui um conjunto de ações que irá melhorar a margem do negócio através da prevenção de perdas. A aplicação de ações que afetem os pilares Pessoas, Processos, Auditoria, Tecnologia e Indicadores levam a uma execução que tem maior probabilidade de êxito.

Ao buscar qualquer tipo de solução, lembre-se sempre de pedir ou calcular o ROI, conhecido como Retorno Sobre Investimento. A fórmula para isso é muito simples:
ROI = (ganho obtido – investimento inicial) / investimento inicial. O ganho obtido pode ser estimado para a determinada ação ou solução. Mas, é de suma importância que todo projeto tenha o acompanhamento desse indicador, acompanhado de outros como produtividade, lucratividade, por exemplo, e assim, entenda-se se a solução é eficiente ou não.

5 - Tratar a dor sem saber a doença
É como na vida pessoal, se você está com dor de cabeça, não necessariamente a dor está na cabeça! Dor, segundo definições, é “uma sensação desagradável que sinaliza lesões reais ou possíveis”. Enquanto doença é uma “alteração biológica do estado de saúde de um ser (homem, animal etc.), manifestada por um conjunto de sintomas perceptíveis ou não; enfermidade, mal, moléstia.”

Preste atenção nessa parte da definição de doença: manifestada por um conjunto de sintomas perceptíveis ou não. Ou seja, a doença (perdas corporativas) nem sempre se manifestam por sintomas perceptíveis. E, nem sempre a dor indica qual é a doença.

Para tratar a doença (e a dor) é preciso um diagnóstico (avaliação) e a análise de exames (números) para então determinar as possíveis patologias (“pathos” = sofrimento e “logia” = estudo) que então, serão objeto de avaliação para o tratamento correto. Em uma empresa, é a mesma coisa como podem ver.

E agora reflita: quais desses erros você comete na gestão de prevenção de perdas e que afetam a margem de lucro da sua empresa?

*É CEO da AOzawa Consultoria, especialista em governança Operacional e Corporativa, palestrante, consultor, professor da FIA Business School e autor do livro “Pentágono de Perdas: Transformando Perdas em Lucros”
_________________________________________________
SOBRE A AOZAWA CONSULTORIA (http://www.aozawaconsultoria.com.br)
Fundada em 2013 pelo professor Anderson Ozawa, a Aozawa Consultoria atua com o objetivo de auxiliar na proteção e aumento dos lucros nas empresas. Ela oferece consultoria, assessoria e serviços para gestão de prevenção de perdas, eficiência operacional, tecnologia, inovação e desenvolvimento humano, com foco de atuação no varejo, em todos os seus segmentos.
_______________________________________________________
ASSESSORIA DE IMPRENSA DA AOZAWA CONSULTORIA
Agência Hori (http://www.agenciahori.com.br) 
Helder Horikawa (helder@agenciahori.com.br); (11) 99841-1594

Editorias: Automóveis e Automotores  Industria  Negócios  Serviços  Recursos Humanos  
Tipo: Artigo  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Agência Hori  
Contato: Helder Horikawa  
Telefone: 11-998411594-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.