E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Evolução do Open Banking deve beneficiar setor de fomento mercantil
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Avaliação é do presidente do Sindisfac-MG, Roberto Ribeiro; segunda fase do Sistema Financeiro Aberto começa nesta sexta-feira, 13

O Open Banking, novo sistema que acompanha a transformação digital e o uso de novas tecnologias com novidades para o mercado financeiro, avança mais uma etapa nesta sexta-feira (13), quando tem início a fase 2. Esse sistema financeiro aberto, que consiste no compartilhamento de dados e serviços entre instituições financeiras e instituições de pagamento reguladas pelo Banco Central (Bacen), pretende tornar o sistema financeiro do país mais competitivo e inclusivo, gerando benefícios ao consumidor final.

Até o fim do ano, o Bacen prevê o Open Finance, ou seja, uma ampliação do Open Banking que vai abarcar outras empresas não integrantes do Sistema Financeiro Nacional com o intuito de compartilhar os dados e serviços. Entre os beneficiados, o segmento de fomento mercantil. De acordo com o presidente do Sindicato das Empresas de Factoring de Minas Gerais (Sindisfac-MG) e sócio-diretor da Simples Antecipação de Recebíveis, Roberto Ribeiro, essa abertura gera transparência e fomenta a competição no mercado, favorecendo todos os participantes, inclusive o factoring.

Com isso, o Open Banking colabora positivamente para o desempenho do segmento de fomento mercantil. “Quanto mais abertura e transparência, mais informações sobre operações de crédito podem chegar às empresas do nosso segmento, o que pode melhorar sensivelmente a análise de crédito de nossa clientela’’, explica Roberto Ribeiro.

A partir disso, esse sistema financeiro proporciona vantagens aos empresários do segmento de factoring. ‘’A simetria de informações gera um ambiente econômico mais assertivo e reduz o risco de crédito, o que implica em redução do spread bancário e em um melhor acesso ao crédito para o empresário’’, comenta o presidente do Sindisfac-MG.

A implantação do Open Banking vai nivelar o acesso à informação e incentivar uma maior dinamização da economia, com mais abertura, concorrência, transparência e, principalmente, condições melhores para os clientes, que vão poder escolher opções de créditos e serviços que atendam às suas necessidades e seus objetivos, além de permitir que os consumidores utilizem seus dados financeiros para ter acesso a vantagens, como, por exemplo, taxas mais competitivas.

A segunda fase do Open Banking, a partir deste mês, vai permitir o compartilhamento padronizado de dados pessoais pelas instituições participantes. Segundo a diretora da PwC Brasil, Elisa Simão, ao prever o compartilhamento dos dados, essa fase vai promover a abertura do sistema financeiro, tirando a exclusividade da instituição da qual o cliente é correntista na oferta de serviços financeiros. “Com isso, deveremos ter produtos mais assertivos e uma atuação de players que não são apenas os tradicionais do setor financeiro, entre eles fintechs e empresas financeiras mais regionalizadas, que agora poderão atuar em novas praças\", comenta.

Editorias: Negócios  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: LARA COMUNICAÇÃO  
Contato: INTERFACE COMUNICAÇÃO  
Telefone: 31-32117500-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.