E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Barretos (SP) aplica a tributação correta em relação ao trabalho temporário
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Marcos de Abreu, presidente da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (ASSERTTEM)
Marcos de Abreu, presidente da Associação Brasileira do Trabalho Temporário (ASSERTTEM)

A prefeitura de Barretos (SP) está aplicando corretamente a tributação em relação a base de cálculo do ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) sobre a contratação do trabalhador temporário, realizada por intermédio de agências credenciadas pelo Governo Federal.
De acordo com a ASSERTTEM (Associação Brasileira do Trabalho Temporário), que realiza um trabalho de orientação junto aos municípios brasileiros visando esclarecer a aplicação tributária correta, em casos de incidência incorreta da base de cálculo do imposto, por exemplo, o aumento pode chegar até 1.539%.
O levantamento da associação aponta que, além de Barretos (SP), muitas cidades já realizam de maneira correta a taxação do imposto como Mogi das Cruzes (SP), Sorocaba (SP), Itajaí (SC) e Araruama (RJ), além de capitais como Curitiba (PR) e Belo Horizonte (MG).
\"Alguns municípios, por absoluto desconhecimento dos preceitos da Lei Federal do Trabalho Temporário, e da determinação já contemplada por ocasião da edição da Súmula 524 do STJ e pela Lei 13.429, de 2017, que criou a terceirização e também modernizou a lei do Trabalho Temporário, acabam por bitributar a folha de salários sem amparo legal. Alguns municípios incluem os direitos dos trabalhadores, salário, FGTS, vale transporte e outros tributos, como a Contribuição Previdenciária e contribuições devidas ao PIS e à COFINS, e, ao próprio ISS, na base de cálculo do ISS, como se fosse serviço, quando, na verdade, não é\", explica Marcos de Abreu, presidente da ASSERTTEM.
O dirigente da associação explica ainda que, pelo serviço de intermediação e colocação, a agência de trabalho temporário cobra da empresa cliente uma taxa, denominada taxa de administração, taxa de colocação ou de serviço. Portanto, não é agência que presta serviços temporários, mas sim o trabalhador temporário.
\"O município deve tributar a receita do prestador de serviço (valores que incrementam o patrimônio do prestador, elemento novo e positivo) e não receita de terceiros, em que esse tenha transitado pelo caixa daquele. Ao cobrar o imposto sobre serviços com base no valor bruto da nota fiscal, afrontam os princípios constitucionais que limitam o poder de tributar, quais sejam, a legalidade, a capacidade contributiva e a vedação de instituição de imposto com caráter confiscatório\", destaca Abreu.
De acordo com o presidente da ASSERTTEM, Barretos e os demais municípios atendem corretamente o que é determinado no Decreto Federal 10.060/19, que regulamenta o trabalho temporário.
\"No parágrafo 1º do artigo 32 do decreto, é definido que o valor da prestação de serviços consiste na taxa de agenciamento da prestação de serviço de colocação à disposição de trabalhadores temporários\", explica Abreu.

Projeto de Lei
O tema também é abordado no projeto de Lei Complementar 154/2019, de autoria do deputado federal Filipe Barros (PSL), que está em tramitação na Câmara do Deputados e representa um importante avanço e estímulo para o trabalho temporário.
O documento prevê que o ISSQN (Imposto sobre Serviços de Qualquer Natureza) incida somente sobre a taxa de agenciamento, não incluindo na base de cálculo do imposto, encargos e benefícios que são do trabalhador temporário e não da agência que viabiliza a contratação.
Na justificação do projeto, o deputado defende que \"no tocante às agências de trabalho temporário, o Superior Tribunal de Justiça já decidiu, em sede de recurso repetitivo, entendimento também consolidado posteriormente na Súmula 524 do mesmo tribunal, que a incidência do ISS deve se dar apenas sobre o valor da comissão a elas devidas\".

Editorias: Economia  Governo  Jurídica  Negócios  Recursos Humanos  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Phábrica de Ideias  
Contato: Gabriela Virdes  
Telefone: 16-3911-3606-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.