E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Regulamentação do trabalho temporário foi debatido em palestra no Simecan
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Canoas/RS – Na manhã de quarta-feira (13), o Sindicato das Indústrias Metalmecânicas e Eletroeletrônicas de Canoas e Nova Santa Rita (Simecan) promoveu palestra sobre a regulamentação do trabalho temporário após o Decreto 10.060/2019. O evento ocorreu na sede da entidade e teve como palestrante o especialista na área, professor Júlio Bonesso.

Com participação principalmente de profissionais da área de Recursos Humanos, no evento o professor tratou tópicos como caracterização da empresa tomadora e a empresa de trabalho temporário, definição das demandas no âmbito do Decreto, cadastramento de trabalhadores temporários junto ao Ministério da Economia, papel do tomador na gestão dos trabalhadores temporários, definição de atividades a serem executadas, caracterização do trabalho temporário no contrato efetuado entre a tomadora e a empresa de trabalho temporário, diferença entre contrato de trabalho temporário e contrato por prazo determinado, aplicação ao contrato temporário da indenização prevista no art. 479 da CLT e cuidados na elaboração do contrato de trabalho temporário.

Segundo explicou o palestrante, a medida pode ser benéfica para a parte da população sem muita experiência de trabalho, e que busca emprego, pois vê o temporário como uma porta de entrada no mercado. O trabalho temporário é um contrato feito entre três partes: o trabalhador, a empresa fornecedora de trabalhadores temporários e a empresa tomadora do serviço. Conforme Bonesso, diferente do terceirizado, esse modelo é para serviços e demandas pontuais, como movimentos sazonais do comércio e substituição por licença-maternidade e férias.

Júlio Bonesso também ressaltou que a modalidade difere do contrato intermitente, onde o trabalhador é chamado para suprir uma demanda em dias pontuais, como aos finais de semana. “Uma das mudanças de destaque é sobre a capacidade da empresa de dar ordens ao trabalhador sem configurar em vínculo empregatício. A própria natureza do trabalho temporário pressupõe que o trabalhador receba ordens do tomador do serviço, afinal, ele irá substituir o trabalho de um empregado da empresa ou irá realizar as mesmas tarefas que outros colaboradores já praticam”, observou.

De Zotti Comunicações

Editorias: Economia  Industria  Mídia  Serviços  Recursos Humanos  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: De Zotti Comunicações  
Contato: Ana De Zotti  
Telefone: 51-35928973-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Tags
•  EDUCAÇÃO  •  CULTURA  •  SAÚDE  •  TECNOLOGIA  •  INTERNET  •  TI  

Mais tags
O que são tags ?

Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.