E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Comitê para atuar na defesa e proteção dos animais é criado em Uberlândia
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Comitê para atuar na defesa e proteção dos animais é criado em Uberlândia
...

Comissão busca apoio do Poder Público e de entidades e da sociedade; CDL Uberlândia é uma das entidades que abraça a causa e se solidariza com propostas.

A Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) de Uberlândia recebeu recentemente a visita dos membros do Comitê de Direitos dos Animais (CDA), que buscam parcerias do poder público, entidades e da sociedade para o desenvolvimento de ações concretas que possam contribuir com o bem-estar dos mais de 30 mil animais que vivem em situação de rua.

O objetivo do Comitê vai além de suscitar um debate construtivo em relação à situação. Visa a criar um Conselho Municipal de Proteção Animal; mapear o trabalho de órgãos públicos em relação à temática, levantar as Organizações da Sociedade Civil (OSCs) e protetoras (es) de animais da cidade; realizar campanhas de arrecadação e adoção responsável; contribuir com a elaboração de projetos de lei; entre outros.

Segundo Jane, uma das diretoras do Comitê, o grande número de animais nas ruas é uma questão de saúde pública que a cada dia cresce mais na cidade. “O problema se arrasta há anos. Uberlândia é a segunda maior cidade de Minas Gerais. Ter 30 mil animais nas ruas é inadmissível. Não existem políticas públicas eficientes que resolvam questões básicas para minimizar a situação, como uma estrutura eficiente de castração, distribuição de ração, vacinas e medicamentos, assistência aos animais da zona rural e até internação de animais atropelados ou doentes. Alfenas, por exemplo, possui o Hospital de Cães e Gatos, mantido pela Prefeitura, e Niterói tem um Banco de Ração para protetores cadastrados. Alguns municípios estão dando exemplo nesse sentido”, disse.

Ela salienta que há ainda outro impasse. “As demais organizações e redes de protetores independentes carecem de amparo econômico e algumas não possuem a documentação necessária para conseguir doações junto às associações empresariais ou governamentais”, acrescenta.

O presidente da CDL Uberlândia, Cícero Heraldo Novaes, recebeu as propostas e acredita que é uma responsabilidade social defender o debate e se solidarizar com as ações apresentadas pelo Comitê. “Somos favoráveis à proteção e defesa dos animais, desta forma apoiamos o trabalho do CDA Uberlândia e vamos ajudar na divulgação, na intermediação entre o Comitê e diversos parceiros para que possam apresentar suas propostas e auxiliá-los no que precisarem”, pontuou o presidente.

Novaes reforça que direta ou indiretamente todas as entidades, o poder público e a sociedade são responsáveis pela situação de animais nas ruas. “Há cães nas portas dos comércios, supermercados, farmácias e outros estabelecimentos. Alguns empresários se solidarizariam e até cuidam dos animais, colocando água e até ração nas portas de suas lojas. Empreendimentos como shoppings também fazem feira de adoção para ajudar Ongs. Todas essas ações são muito válidas, mas é necessário um esforço ainda maior para minimizar essa vulnerabilidade”, conclui.





Editorias: Animais  Ecologia e Meio ambiente  Sociedade  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: SERIFA COMUNICAÇÃO  
Contato: ANALÚ GUIMARÃES  
Telefone: 34-32246084-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.