E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O) esclarece que PL 129/2019 pode prejudicar 34 mil profissionais independentes no RJ
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site

Obrigatoriedade de Placa Vermelha, proposta pelo Projeto de Lei que pode ser votado em breve, na Câmara dos Vereadores, pode prejudicar a fonte de renda dos entregadores cariocas
A Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O), entidade que reúne mais de 100 plataformas digitais que beneficiam cerca de 45 milhões de consumidores, varejistas e prestadores de serviços, gostaria de esclarecer a sua preocupação com o Projeto de Lei 129/2019, que deve ser votado em breve na Câmara dos Vereadores do Rio de Janeiro, que pretende obrigar os entregadores a obterem placa vermelha para trabalhar com plataformas digitais e comércios locais.
O projeto visa a exigência de placa vermelha para a moto e uma autorização específica de motofretista - uma espécie de alvará - que são burocracias que não condizem com as necessidades do cenário atual, além de trazerem custos para os entregadores.
A ABO2O ressalta que as pessoas que obtém sua renda por meio das plataformas não podem depender de uma fórmula engessada, que traga de volta uma regulação, a partir de mais impostos e regras, que prejudique o trabalho, liberdade de escolha e oportunidade de auferir renda.
Para tratar esse e outros aspectos, a ABO2O criou o Guia de Mobilidade Urbana e Delivery pós-Covid-19, com propostas elaboradas por especialistas, acadêmicos e representantes da sociedade civil, com o intuito de construir políticas públicas mais modernas e eficientes para a mobilidade urbana brasileira. Entre os quatro pontos principais tratados no guia, estão propostas para tratar o impacto econômico e regulamentação eficiente para a nova economia.
O projeto de Lei 129/2019, caso aprovado, têm impacto direto em atores importantes para a economia do Rio de Janeiro, e, posteriormente, podem também interferir na atividade em outras cidades e estados.
• Implicações da PLs para os entregadores:
Cerca de 34 mil entregadores por aplicativo que trabalham no Rio de Janeiro não possuem placa vermelha. Para obtê-la teriam que pagar taxas para a Prefeitura, realizar cursos semipresenciais, comprar baús e, em alguns casos, comprar novas motos. O valor é de aproximadamente R$ 1.646,04 (tendo como referência o valor em São Paulo para tal licenciamento) e cada trabalhador deverá desembolsar a quantia para estar regularizado. Além disso, o processo para obter a placa vermelha leva cerca de 3 meses, em alguns casos até 6 meses, e pode prejudicar o sustento da família desses profissionais independentes.
Segundo dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), a pandemia de covid-19 bateu recorde de desemprego, em setembro, atingindo mais de 14 milhões de brasileiros. Entre maio e setembro, mais de 4,1 milhões de pessoas entraram para a fila do desemprego. Em razão desse aumento, muitos profissionais de outras áreas estão obtendo renda por meio de entregas, trabalhando em diversas plataformas online como forma de garantir o sustento de suas famílias. Prova disso é que a demanda por cadastros nas plataformas digitais aumentou, em média, 100% comparada aos três meses anteriores à pandemia.
O projeto em questão não estimula a atividade econômica nem contribui para aumentar a segurança dos entregadores de aplicativos. A ABO2O reforça a importância da adoção de medidas que implementem esse estímulo, gerando emprego e renda, sem que a municipalidade limite ou interfira nas atividades da iniciativa privada. Além disso, ressaltamos a necessidade de que o poder público atue de forma a diminuir os impostos incidentes nos itens de proteção e segurança utilizados pelos entregadores, e a disponibilizar, de forma gratuita, cursos e campanhas de sensibilização sobre segurança no trânsito.
• Implicações da PL para o comércio:
Os comerciantes que não tiverem acesso a profissionais regulamentados ficarão sem a logística para entrega de seus produtos. Os mais prejudicados serão os pequenos empresários que tentam se digitalizar nesse contexto de pandemia.
Vale ressaltar que o comércio varejista tem utilizado os aplicativos de entrega como principal alternativa para possibilitar as vendas de seus produtos durante o período de isolamento social, já́ que muitos empresários ficaram com os seus estabelecimentos fechados por meses. E mesmo com a abertura gradual, o delivery continua sendo um componente importante para a sobrevivência.
De acordo com estimativas da FecomercioSP, cerca de 202 mil estabelecimentos comerciais fecharam as suas portas no Brasil em decorrência da pandemia, sendo 197 mil de pequeno porte (97% do total). O cenário é grave. Para efeito de comparação, na recessão de 2015-2016, a maior crise vivida pelo varejo, foram fechadas cerca de 100 mil empresas, num período de dois anos.
Esses números apontam para um cenário de gravidade inédita para o varejo e afeta diretamente as expectativas de uma reversão no curto prazo, dadas as circunstâncias negativas que estão em vigor, em especial sobre a renda e o emprego. Neste sentido, qualquer medida que venha onerar essa nova economia digital terá impacto direto em toda a cadeia produtiva: comércio, entregadores e consumidores.
Portanto, o comércio sem alternativas para se manter, poderá ter mais atividades encerradas, contribuindo para o aumento do desemprego. E esse novo desempregado terá́ muita dificuldade se recolocar no mercado.
• Implicações da PL para os consumidores:
Os consumidores terão menos acesso ao delivery, já que diminuirá drasticamente a quantidade de profissionais regulamentados e disponíveis para a entrega.
A Associação Brasileira Online to Offline (ABO2O) defende a Liberdade de Expressão e está aberta para dialogar com todos os entes da cadeia para construir, em conjunto, e com todos expondo seus pontos uma solução que atenda aos entregadores, que nesse caso, não estão de acordo com a obrigatoriedade da Placa Vermelha, assim como seja sustentável para todo o ecossistema da nova economia.

Editorias: Automóveis e Automotores  Jurídica  Serviços  Política  Recursos Humanos  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Singular Comunicação de Resultados  
Contato: Janaina Leme  
Telefone: 11-50917838-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.