E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Como declarar pensão alimentícia no Imposto de Renda
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Como declarar pensão alimentícia no Imposto de Renda
...

Receita Federal tem regras diferentes para quem recebe e quem paga

O prazo final para entrega da declaração do Imposto de Renda da Pessoa Física se aproxima e um dos temas que ainda geram diversas dúvidas é a pensão alimentícia. A IOB, marca referência nas áreas contábil, fiscal, tributária e trabalhista, separou algumas dicas para ajudar tanto quem recebe, quanto quem paga, a declarar corretamente.

Vale lembrar que o novo prazo estabelecido para pela Receita Federal, em decorrência da pandemia da Covid-19, para envio da declaração 2020 termina no próximo 30/06.

Quem recebe: como declarar?
Para quem recebe a pensão, é importante reforçar que esse valor é um rendimento tributável e precisa ser declarado pelo titular ou pelo dependente se se for incluído na declaração do contribuinte que ficou com a guarda do alimentando. Para o contribuinte que está obrigado a entrega da declaração de ajuste e inclui o dependente, esse valor deve ser informado mensalmente na ficha de Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa física/exterior aba de dependente e caso seja superior a R$1.903,98, sujeita-se também ao Carnê-Leão (recolhimento mensal obrigatório com base na tabela progressiva).

Para o caso em que o beneficiário da pensão apresente a declaração separado do seu responsável legal, os valores das pensões devem ser informados na ficha “Rendimentos Tributáveis Recebidos de Pessoa Física e do Exterior” na aba titular, em “Outras Informações”, com a utilização da coluna “Pensão Alimentícia e Outros”, e da coluna “Carnê-Leão”, caso tenha resultado em imposto pago.

Quem paga: como declarar?
A pensão alimentícia para quem paga, pode ser deduzida na determinação da base de cálculo mensal, devendo ser informada na Declaração de Ajuste Anual da Pessoa Física. A informação deve constar na ficha “Alimentandos”, indicando se o alimentando é residente no Brasil ou no exterior, o nome, a data de nascimento e o CPF.

Em relação a quantia paga mensalmente, este deve constar na ficha “Pagamentos Efetuados”, selecionado o nome do alimentando (beneficiário), o valor pago e a parcela não dedutível, caso haja, indicando o código correspondente conforme cada caso, como:
• 30 - Pensão alimentícia judicial paga a residente no Brasil
• 31 - Pensão alimentícia judicial paga a não residente no Brasil
• 33 - Pensão alimentícia - separação/divórcio por escritura pública paga a residente no Brasil
• 34 - Pensão alimentícia - separação/divórcio por escritura pública paga a não residente no Brasil

“Se o valor pago estiver na faixa de obrigatoriedade da Receita para apresentação da declaração de ajuste, alimentando (em separado ou como dependente) e alimentante, ambos precisam declarar a pensão recebida ou paga respectivamente, evitando assim, cair na malha fina”, afirma Daniel de Paula, consultor tributário da IOB.

Para mais informações sobre a Declaração do Imposto de Renda, acesse o site da IOB (https://info.iob.com.br/dirpf2020/)

Editorias: Economia  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Igor Maciel  
Contato: Igor  
Telefone: --

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.