E-mail


Senha

Lembrar senha

   
Informe o e-mail usado para fazer o login


   



Pesquisa




Aumento significativo do índice de envelhecimento chama atenção de especialistas
Enviar release
Este release no seu Blog ou Site
Yussif Ali Mere Jr, médico
Yussif Ali Mere Jr, médico

As cidades estão preparadas para o aumento da população idosa? Segundo o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), o “índice de envelhecimento” (a proporção de idosos entre a população) deve saltar de 43,19%, em 2018, para 173,47% em 2060. Mas uma pesquisa da Federação dos Hospitais, Clínicas e Laboratórios do Estado de São Paulo (FEHOESP) mostra que este cenário está mais próximo do que se pensa. O estudo aponta aumento de 37% na demanda por serviços de home care em 2018 (em relação a 2017), “um índice considerável”, analisa o médico Yussif Ali Mere Jr, presidente da Federação.

Outro estudo já coloca Ribeirão Preto em situação privilegiada. De acordo com o Índice de Desenvolvimento Urbano para Longevidade pelo Instituto de Longevidade Mongeral Aegon/FGV, divulgado em 2017, Ribeirão é uma das dez cidades com melhor qualidade de vida para a população idosa – figura em 6º lugar. O relatório da pesquisa cita o clima sem ocorrência de chuvas extremas, a quantidade de cinemas e iniciativas que colaboram para bom desempenho em cultura e engajamento como requisitos que pesaram na avaliação.

Para o médico Yussif Ali Mere Jr, a área da saúde tem incrementado produtos e serviços para atender às necessidades desse público. Mas faz um alerta. “Saúde pública e privada terão de se preparar para atender ao aumento de demandas específicas do idoso e a sociedade demandará por programas de inclusão, acessibilidade e cidades mais planejadas”.

Na avaliação do engenheiro Giulio Prado, presidente da Associação de Engenharia, Arquitetura e Agronomia de Ribeirão Preto (AEAARP), há muito a ser feito. “É preciso que governos – municipal, estadual e federal – atuem com políticas que atendam ao aumento considerável de idosos na população brasileira, mas é imprescindível que a sociedade civil pense sobre seu papel neste novo cenário também”, comenta. Segundo ele, a atuação conjunta é fundamental se a sociedade quiser cidades mais acolhedoras e que ofereçam dignidade de vida ao idoso. “Obviamente, por consequência, outros públicos serão atendidos e beneficiados”, completa.

O impacto da inversão da pirâmide etária será grande. “O mercado de trabalho será demandado um público que não se aposenta aos 60 e segue ativo. Por outro lado, a sociedade não pode ignorar as doenças degenerativas próprias da idade, a permanência por tempo maior em internações, sem contar a necessidade de opções de lazer que garantam qualidade de vida e de tecnologia que atenda a este público”, analisa Yussif.

Preparar as cidades será um desafio grande. “A escassez de recursos para investir em planejamento das cidades para incluírem os vários públicos que elas recebem é um fato. Mas, há que se buscar alternativas, parcerias com universidades, empresas e iniciativas populares de valor. A busca de alternativas para qualidade de vida certamente impactará no desenvolvimento em vários aspectos como negócios, cultura, educação, saúde e outros”, comenta Giulio. Para ele, a organização da cidade para esse público deve ser definida no Plano Diretor.

Quantos milhões de idosos

A Organização Mundial de Saúde considera idoso o indivíduo com 60 anos ou mais. Em 1940, o Brasil 4,1% da população era idosa. Em 2010, eram 10,5%. A título de comparação, segundo o IBGE, em 2012, a população com 60 anos era de 25,4 milhões. Em 2017, subiu para 30,2 milhões – esses 4,8 milhões de novos idosos em cinco anos representam um crescimento de 18% de cidadãos nesse grupo etário. No grupo dos idosos, as mulheres são maioria: 16,9 milhões (56% dos idosos), sendo que os homens são 13,3 milhões (44% do grupo). Elas estão vivendo mais: segundo o IBGE, chegam aos 79 anos em média, e os homens, até 72.

Editorias: Saúde  
Tipo: Pauta  Data Publicação:
Fonte do release
Empresa: Texto & Cia Comunicação  
Contato: Daniela Antunes e Blanche Amancio  
Telefone: 16-39162840-

Envie um e-mail para o(a) responsável pela notícia acima:
Seu nome

Seu e-mail

Mensagem

Digite o código mostrado abaixo

  
Skype:
MSN:
Twitter: http://twitter.com/https://twitter.com/textocia
Facebook: https://www.facebook.com/TextoComunicacao
Eventos
Copyright 2008 - DIFUNDIR - Todos os direitos reservados. Não é permitida a reprodução deste conteúdo sem prévia autorização.