Home  Imagens  Contato  Clássico    
Doenças do coração avançam entre os brasileiros

No Brasil, cerca de 14 milhões de brasileiros têm alguma doença cardiovascular e, pelo menos, 400 mil morrem por ano em decorrência dessas enfermidades, de acordo com a Sociedade Brasileira de Cardiologia (SBC). O número de óbitos corresponde a 30% de todas as mortes no país, estatística que pode estar sendo agravada pela pandemia da Covid-19, maus hábitos e a falta de check-ups regulares.

Conforme a Dra. Kitty Nobre, cardiologista do Grupo Alliar, as patologias mais comuns no coração são as decorrentes da aterosclerose, que é o depósito de gordura com formação de placas nas artérias, arritmias cardíacas, valvulopatias, que afetam as válvulas do órgão, hipertensão arterial e as doenças cardiológicas congênitas, como causas comuns de doenças cardíacas.

Entre os sintomas mais comuns em pessoas acometidas por alguma doença cardíaca estão: cansaço, palpitações, dor no peito, inchaço, desmaio e outros, mas os sinais também podem ser silenciosos no começo, atrasando o diagnóstico. O estilo de vida saudável, com boa alimentação, controle do peso, prática de atividade física com regularidade, não fumar e ter consumo moderado de álcool, além de avaliações médicas e exames laboratoriais de rotina, tendem a reduzir em 80% desses óbitos.

Os idosos, hipertensos, diabéticos, dislipidemicos - com colesterol e triglicérides altos -, tabagistas e pessoas que têm histórico familiar importante de cardiopatia são os principais grupos de risco para desenvolver doença cardíaca. Além deles, um estudo feito a partir dos dados da plataforma on-line Estatísticas Cardiovascular Brasil: 2020, da SBC, mostrou que a predominância dessas enfermidades está crescendo nas mulheres entre 15 e 49 anos e que vem aumentando as mortes por doenças isquêmicas, como o infarto do miocárdio, nas mais jovens.

As doenças cardíacas estão entre as mais prevalentes na população. A prevenção e diagnóstico precoces são fundamentais para evitar ou amenizar estes problemas de saúde. \"As pessoas não precisam ter medo de ir aos laboratórios, pois os pacientes serão orientados, seguindo à risca as normas estabelecidas pelos órgãos competentes, como distanciamento social, uso de máscara e álcool gel. Além disso, as clínicas da Alliar seguem orientações dos órgãos de saúde na limpeza e esterilização de materiais e equipamentos\", finaliza a médica.

Editorias: Saúde  
Tipo: Pauta  Data Publicação:

 
Fonte do release
Empresa: Joana Fróes/ FSB Comunicação  
Contato: Joana Fróes  
Telefone: --

E-mail: joana.froes@fsb.com.br
Skype:
MSN:
Twitter:
Facebook:
Enviar release